Elam McKnight

quarta-feira, 28/11/2007

Elam McKnight conta que desde pequeno esteve exposto ao Blues. Seu tio o levava à Beale Street e sua fascinação pela guitarra e pelo gênero começaram desde aí. “Eu devorava qualquer album de blues que eu pudesse pôr as mãos”, diz.
Ele segue contando que esteve mal uma época, num casamento ruim e tudo andava mal, e até em termos musicais andava desacreditado, não acreditava que existissem mais músicos como Muddy Waters ou Howlin’ Wolf. Foi quando encontrou jogado numa calçada um disco que literalmente mudou sua vida, o Ass Pocket of Whiskey, de R.L. Burnside. Depois de se recompor do susto inicial que o disco provocara, ele ficou fascinado pelo som do Hill Country do norte do Mississippi. A partir daí começou a escrever músicas e juntar dinheiro para gravar, e enquanto procurava os músicos certos para tocar com ele, conheceu Cedric Burnside (Neto e baterista de R.L. Burnside), que o convidou a ir ao Mississippi para fazerem uma jam, onde conheceu o tio de Cedric, Garry (que tocava bateria com Junior Kimbrough), e o próprio R.L. Burnside. Essas sessões acabaram por se tornar a base do seu primeiro disco, que foi lançado em 2003 por sua própria gravadora independente. Esse disco teve uma grande recepção, algo incomum para um disco independente, chegando a figurar como o número quatro na lista de discos de Root Blues dos Estados Unidos.
O seu disco mais recente foi lançado esse ano, e é uma homenagem a toda essa herança musical que ele não quer que fique esquecida, e pra isso, ele conta com a participação do lendário baterista Sam Carr, que fez parte dos Jelly Roll Kings. O disco também conta com diversas referências à figuras importantes do blues, e conta com várias influências musicais diversas, como rock, punk e hip hop.
Ele ainda tem um outro disco acústico lançado em 2005, do qual eu devo falar aqui no futuro.
Sem dúvida um dos artistas mais interessantes da nova cena blues americana, que mesmo mesclando elementos atípicos ao gênero, sempre busca se apróximar ainda mais de suas raízes.

Braid My Hair (2003)

 

Supa Good (2007)

4 Respostas to “Elam McKnight”

  1. Fabricio Muller said

    baixando!

  2. Renato said

    Muito bom cara, valeu!

  3. marcelo said

    muito bom seu blog. super profissional. escutar previas dos discos é realmente nota 10!!! o cara que me indico baixou 25 discos so numa manha!

  4. koveiro said

    mt bom baixando

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: